A Amazônia é uma região que transcende os limites geopolíticos. É uma região continental, a qual compreende nove países da América do Sul. No entanto, iremos falar exclusivamente da Amazônia Brasileira. Pois, a maior parte (65%) da região amazônica está no Brasil e a maior parte (60%) do território brasileiro é a própria Amazônia Legal.

Os números dessa região são impressionantes. No entanto, é importante ressaltar que nenhum número é definitivo. Tudo é suscetível a revisão, dependendo da circunstância ou do ponto de vista. E, para transformar esse post em algo mais objetivo e direto, iremos apresentar os números de forma pontual e a discussão fica a cargo do público. Nos posts seguintes iremos discutir alguns pontos mais detalhadamente.

A Extensão Territorial: O número mais admitido é que seja de pelo menos 6,4 milhões de km². Existem cidades, localizadas dentro do mesmo estado (AM) que estão a mais de 1.400 km de distância (em linha reta) uma da outra (Tabatinga e Parintins).

A Demografia: Impressiona pela contradição, uma área tão extensa com uma densidade populacional pequena. Mesmo assim, somos: entre 26~27 milhões de habitantes, distribuídos em mais de 50 etnias diferentes.

O Clima: Trata-se de uma região tropical: quente e úmido. A temperatura média da região é, na média, alta e sem muitas variações ao longo do dia ou mesmo no ano (varia, em média, de 25~35°C). O “úmido”, é caracterizado pelos altos índices de chuva: variando de 1.500 a até 3.000 mm, por ano. Para referência: 1 mm de chuva = 1 litro por m².

A Hidrografia: Os rios, lagos, igarapés etc. possuem uma relação muito importante na Amazônia. São vias de acesso, alimento e valores culturais. A bacia hidrográfica possui aproximadamente 7 milhões de km², sendo o principal rio o poderoso Rio Amazonas (+6,8 mil km de extensão & vazão estimada em mais de 200 mil m³ por segundo). Suas águas podem ser classificadas pela coloração (preta, barrenta ou clara), que por sua vez, definem tipos de florestas. Para referência: 1 m³ = 1.000 litros.

A Floresta: A maior e mais bem preservada floresta tropical contínua do planeta, com uma área de mais de 3 milhões de km². Florestas com árvores milenares (pelo menos 1,5 mil anos). Pelo menos 3.000 plantas identificadas e registradas, destas pelo menos 1.000 são árvores e palmeiras. As florestas podem ser divididas em dois tipos básicos (de terra firme ou várzeas/igapós). Em um (1) hectare, é possível registrar +1 mil árvores/arvoretas e entre 250~300 espécies diferentes. Para referência: 1 hectare = 10.000 m² ou 0,01 km².

A Fauna: Talvez o tema mais controverso. Até o presente momento, ninguém se arrisca em cravar um número da diversidade de fauna. Constantes evoluções em tecnologia para auxiliar e melhorar a identificação das espécies e aumento dos grupos de pesquisas contribuem para fazer o número flutuar. Para caracterizar a diversidade da fauna amazônica, já foram catalogadas pelo menos uma 600 (seiscentas) de espécies de sapos, rãs e pererecas.

Diante desses números, é seguro afirmar que temos “Amazônias dentro da Amazônia”. Isso sem contar nas diferenças sociais mais específicas, como cultura, principal prática econômica, composição étnica etc.

Assim, é praticamente impossível estabelecer uma diretriz única para região, seja como “matriz econômica” ou mesmo “organização cultural”. Ter experiência em trabalhos na Amazônia não confere automaticamente credencial de expertise para toda a região. Por isso, estudos e diagnósticos “sítio-específicos” são fundamentais para garantir a sustentabilidade de um projeto de uso da terra.